Rede de Museus da Região de Leiria

No passado dia 01 (quarta-feira) foi apresentada e assinada a Carta de Princípios que constitui a Rede de Museus da Região de Leiria.

Uma iniciativa que decorreu de uma decisão do Conselho da Comunidade Intermunicipal (constituído pelos Presidentes de Câmara dos 10 Municípios da CIM)  e que corresponde à visão que têm os Autarcas desta Região sobre o futuro próximo dos seus Territórios no que respeita, no caso, à promoção da sua oferta Cultural (e por associação do Turismo).

Não é caso único, nem primeiro, de trabalho em rede dos 10 Municípios. A conjugação de sinergias e a partilha de recursos entre Territórios é uma mais-valia e um desígnio do futuro incontornável, em todos os níveis.

Este caso tem a particularidade de ser a primeira Rede de Museus criada a partir da realidade territorial de uma CIM e, assim sendo, constitui-se como um exemplo que poderá ser seguida por outras CIM, quer da Região Centro quer do resto do País.

A Marinha Grande faz parte desta Rede com os seus Museus Municipais:

  • Museu Joaquim Correia
  • Casa Museu Afonso Lopes Vieira
  • Museu do Vidro (inclui o NAC)
  • Núcleo do Futuro Museu dos Moldes

Ao integrar esta Rede temos a possibilidade de potenciar a atractividade dos nossos espaços museológicos junto das populações dos outros 9 Municípios, além de termos a possibilidade de fazer um intercâmbio que nos permita levar/receber diferentes exposições!

Será importante no entanto que, ao integrar esta Rede, tomemos consciência de que tal nos traz responsabilidade acrescida na gestão dos nossos equipamentos culturais dotando-os de mais e novas ferramentas que respondam às exigências/necessidades de públicos diferenciados: crianças e jovens (população escolar), adultos e terceira idade, cidadãos com mobilidade ou outras condicionantes.

Um Museu, por ser normalmente um espaço que nos fala do passado, não tem de ser necessariamente um espaço morto, parado no tempo… deve ser capaz de se adaptar às novas realidades e comunicar de um modo ajustado aos diferentes públicos sendo ao mesmo tempo um espaço educativo!

Como referia a Senhora Directora Regional da Cultura do Centro os Museus hoje são o espaço por excelência onde se pode ensinar/transmitir às novas gerações a identidade sócio-cultural (quem fomos, quem somos, de onde vimos, etc…) de um Território!

Pensar (e)M Grande, pensar a Marinha Grande, é também pensar a sua oferta Cultural não apenas aos Munícipes mas também a todos aqueles que nos queiram visitar, construindo uma oferta integrada (que considere o conjunto de núcleos museológicos existentes),  diversificada (considerando a própria matriz de cada um dos espaços) e adaptada (considerando os públicos-alvo de cada núcleo).

Esta entrada foi publicada em Nelson Araújo com as tags , , , . ligação permanente.

2 respostas a Rede de Museus da Região de Leiria

  1. Voltamos à Região de Leiria!
    Dizia aqui há dias um colaborador desta página que temos que “vender” o turismo em Portugal como um todo, o Algarve, o Douro, as praias e não criar as “Regiões de Turismo”.
    Pois eu creio que uma coisa não impede a outra…desde que seja com critério.
    Esta rede de museus agora criada, é disso um exemplo.

    E creio não estar enganado! Ou estarei?

  2. Luis Jesus diz:

    Nos museus da Marinha nenhum tem mais anos que outros embora não museus não deixam de representar o passado da Marinha como por exemplo o parque do engenho os pontos de vigia as casas das matas os edifícios do centro histórico abandonados etc. Quem resposta da câmara… E da junta? Faz lembrar o tempo de esbanjar dinheiro. Só se constroi novo e o velho fica a definhar…

Os comentários estão fechados.