A cantar de Galo

O Partido Social-Democrata da Marinha Grande foi a votos no passado domingo, elegendo para líder o advogado Ricardo Galo, com apenas 14 votos. Apenas é como quem diz: votaram 40% dos militantes, o que é revelador da «pujança» deste partido político no nosso concelho.
A história mostra-nos que o PSD é um partido onde raramente paira a lucidez. Repare-se que pessoas aparentemente inteligentes aprovaram o apoio a um vereador de um movimento independente sem que este tenha sequer apresentado a sua (re)candidatura.
Pior, como é que o PSD apoia um putativo candidato sem que este tenha apresentado o seu programa eleitoral? Extraordinário!
Mas as incongruências não se ficam por aqui. O partido laranja optou pelo homem que se apresentou ao povo, em 2013, precisamente contra os partidos políticos. Ora o PSD é um partido do «sistema», que se preparava para o apoiar e não ter trabalho com listas próprias. Resta saber se o respeitável Aurélio Ferreira aceitava esse apoio ou se o recusaria.
Querem mais?
Aqui vai: o atual presidente do PSD da Marinha Grande fazia parte da comissão política que aprovou o apoio formal a Aurélio Ferreira. E agora, vai dizer que já não apoia? Que argumentos vai usar? Que Aurélio Ferreira usa óculos?
Mas há mais. Já está decidido que o cabeça de lista à Câmara será um militante do partido e, preparem-se, sairá da comissão política. Está-se mesmo a ver quem vai ser a escolha da concelhia para encabeçar a lista do PSD…
Querem apostar que o apelido do candidato dá nome à principal avenida da cidade da Marinha Grande?

Esta entrada foi publicada em António José Ferreira. ligação permanente.

Uma resposta a A cantar de Galo

  1. João Fernandes diz:

    Ao candidato falta-lhe um “L”…

Os comentários estão fechados.