As entradas da Marinha Grande

Entendo que PENSAR (E)M GRANDE implica dar sugestões que melhorem o Concelho, sem receio de opiniões, que de melhor gabarito, possam ser escolhidas em detrimento das nossas.
Depois de há muito tempo, politicamente falando, já ter escolhido “arrumar as botas”, decidi retomar as minhas responsabilidades enquanto cidadão. Por isto, sem qualquer ambição de lugares, acabei por à 4 anos integrar o movimento +Concelho.
Acho que é irresponsável aquele que não se predispondo a dar sugestões, não se coíbe de criticar só por criticar, com o intuito de prejudicar quem quer fazer. (Muitas vezes vemos, na praça pública, injustamente criticados os políticos legitimamente eleitos, por não fazerem mais do que são capazes).
No entanto, o meu entendimento democrata, dá-me o bom senso para retirar de todas as criticas, os necessários ensinamentos que contêm.
Pretendo trazer a este espaço algumas das sugestões que já trouxe ao +Concelho, outras que defendi em sede do PEM, outras novas. Sem me preocupar se o(s) assunto(o) que defendo sejam de minha única responsabilidade ou se outros os defendem. Interessa-me sim, que possam ser garantia de mais e melhor Concelho da Marinha Grande.
Assim deixo aqui o meu primeiro contributo de melhoria – As entradas da Marinha Grande.
Já, em textos anteriores, aqui foi referido o grande potencial da Marinha Grande. Mas também algumas das fragilidades existentes. Estas, em meu entender, são de combate prioritário. Sendo que as fragilidades diminuem em valor superior os aspetos positivos do grande potencial existente.
Os acessos à cidade da Marinha Grande são antigos e sobejamente conhecidos de todos.
Desde há muitos anos apenas se alteraram com a passagem e os acessos da auto-estrada A8, que fez nascer a entrada da Estrada dos Guilhermes. A A8 em conjugação com a Zona Industrial do Casal da Lebre alterou o paradigma e, quer queiramos quer não, hoje a principal entrada da Marinha Grande não é mais a da Embra mas sim a da Zona Industrial.
Confluem na Rotunda do Vidraceiro entre outros arruamentos, a Estrada dos Guilhermes, Estrada da Nazaré e a Avenida Dr. José Henriques Vareda.
Para quem chega à Marinha Grande vindo do sul esta avenida é sem duvida a principal via de acesso a todas as direções, centro da Marinha Grande, São Pedro de Moel, Vieira de Leiria, Leiria.
Esta avenida embora desenhada para 4 vias, está feita com 3 vias e temos lá de tudo o que de má imagem podemos ter. Berma em terra entre passeio e via, árvores plantadas nesta berma ou seja em pleno espaço destinado a rodovia, zona sem passeio para depois “desembocar” na avenida de 4 faixas. Sendo que tudo isto está do lado de um dos ex-libris da cidade, o Estádio Municipal.
A requalificação deste troço da avenida não é de elevados encargos e é de vital importância para a imagem que se quer e deve dar, Marinha Grande uma cidade pujante onde vale a pena estar e investir.

Luiz Branco

 

Esta entrada foi publicada em Luíz Ferreira Branco. ligação permanente.

Uma resposta a As entradas da Marinha Grande

  1. Já aqui neste espaço tive ocasião de referir o tema que acima expõe. Mas já que começa pela entrada da A8 pela zona industrial, quero deixar também opinião, se me é permitido. Primeiro o acesso à referida estrada (A8), que parece incorrecto, tendo ocorrido já acidentes graves, direi mesmo muito graves. Quem se dirige para a referida estrada indo da zona industrial, tem que virar à esquerda, logo tem que cruzar a estrada dos Guilhermes! E é aqui que está o problema, o motivos do graves acidentes, e em todas as estradas do mundo – o cruzar vias!
    Um pequeno troço de estrada, virar à direita e passar por baixo da mesma seria uma obra simples e que trazia segurança!
    Terei mais algumas sugestões, mas por agora fico-me por aqui!

Os comentários estão fechados.